Tão Real - Temp. 2

Chegou a hora de maratonar a segunda temporada do Álbum “Tão Real” do Rashid! Confira todo o material exclusivo.

Elenco principal: Rashid Participações: Rincon Sapiência, Duda Beat, Drik Barbosa, Wesley Camilo Produção de: Rashid, Grou, Julio Mossil, Nave, Dogz, TALHØ, Stau, Luiz Café


Temporada Completa

Episódios

1. SSNS04:36

Elenco principal: Rashid Produção: Grou

Letra completa

É isso memo, é preciso refletir sobre o barato PONTE Outro dia, outro dinheiro, grana é um Bang loko Que vicia e traz desespero, sobe o sangue, loko Suadeira o dia inteiro, é tipo mangue No corre, só puro suco desenrola, num é Tang, loko! (Refrão) Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? A direção quem tomou? Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? Afinal, quem trabalhou? (2x) Ae Na febre do ouro, mil grau (mil grau), diz o termômetro E o impostômetro gira, gera ânsia de vômito E eu atônito, meu, caço o tônico Na tônica da selva onde o sufoco é crônico (crônico) E o sucesso é quase antagônico Perdoe o vocabulário, mas, dinheiro não é fácil meu parça, viu como é irônico? Que comerciais querem vender coisas pra gente E essas mesmas empresas não nos pagam o suficiente?! (parece simples) Te impedindo de ser autossuficiente Num ciclo nós por eles, nunca da gente pra gente E seu salário escorre entre as contas Te mantém amarrado às dívidas (várias), por isso o banco chama de conta corrente Mas dinheiro não é problema, meu parceiro Porque eu sempre tive problema e nunca tive dinheiro (é quente) Com a cabeça nos dígitos, jogador ligeiro E deixa o sonhador com a cabeça no travesseiro PONTE Outro dia, outro dinheiro, grana é um Bang loko Que vicia e traz desespero, sobe o sangue, loko Suadeira o dia inteiro, é tipo mangue No corre, só puro suco desenrola, num é Tang, loko! REFRÃO Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? A direção quem tomou? Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? Afinal, quem trabalhou? (2x) FALA Então, Rashid, tava vendo essas fita aí, tá ligado? Porque a gente é menosprezado pelo sistema, mano, aí nós têm que ficar fazendo os nossos corre pra tirar a nossa família da pobreza, mano, e dar uma vida digna, tá ligado? Sem dia de folga, domingo, nem feriado (ahn) É o "Game of Thrones" da rua, não é seriado Parece um jogo pra ver se cê é honesto (aí) Quando 5% dos mais rico tem a mesma grana que todo o resto Faz as conta, paga as conta, quita as conta, vem mais conta Quem desponta com eles contra? Se desconta, me desmonta Me afronta, vejo Honda e Supreme, bate a onda bad em mim Me responda se assim não amedronta?! Mas e se eu fizer uma fogueira, depois jogar dinheiro nela Eu vou tá queimando notas de papel ou o valor que a gente deu pra elas? (ahn?) Se todo mundo resolver sacar o que tem na conta, o que acontece? (o que?) Já parou pra pensar que todo esse dinheiro não existe em espécie? São só números (vai vendo), efêmeros desde o sumérios (sumérios) Em gênero de sumários (sumários), os que envolvem finanças, os mais sérios Mas nesse hemisfério, ninguém vai correr mais que eu pelas verde, Zé, sendo azeda E aquele ou aquela que não quiser, que atire a primeira moeda PONTE Outro dia, outro dinheiro, grana é um Bang loko (Lolko) Que vicia e traz desespero, sobe o sangue, loko Suadeira o dia inteiro, é tipo mangue No corre, só puro suco desenrola, num é Tang, loko! REFRÃO Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? A direção quem tomou? Sim, senhor! Não, senhor! Sim, senhor! Não, senhor! Cê que manda ou ele manda? Afinal, quem trabalhou? (2x) FALA Tem que prestar mais atenção nessa fita aí, mano, porque o rico, o rico não quer perder o dinheiro e nós, pobres, irmão, temos que fazer um corre pra sobreviver. Seguimos sonhando.

Escutar

2. Bem Loko05:12

Elenco principal: Rashid, Rincon Sapiência Participação: Rincon Sapiência Produção: Rashid, Grou

Letra completa

PONTE Meus mano querem ficar bem loko (yeah), sair da merda e ficar bem loko (pode crê) Ganhar um troco e ficar bem loko, mudar de vida e ficar bem… vida e ficar bem… REFRÃO Bebo sim, mas não é vício, não é bem assim (não não, pera lá) Só uma dose antes de dormir e … uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh Hennessy, tiver goteira então pinga “ni mim” (pinga “ni mim”) Cerveja é fraca, desce aí um gin… uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh Yeah, yeah Por bares e bares andei (aham), minha família trombei lá Meu tio que perdeu o emprego, no bar gastou a rescisão inteira (é quente) Meus primo no mesmo caminho e a casa sem eira nem beira Dirigindo e bebendo, domingo a domingo, dane-se a segunda-feira Mas vamos brindar, o importante é dar asa pro Johnnie Walker Mas nenhum deles “keep walking”, mano, fala “pu cê”, o diabo é o pior stalker Minha boca na boca do copo é o beijo perfeito, língua e gelo Um filme noir, o balcão do bar já tem a forma do meu cotovelo (vai lá pra ver) Bebo quando o problema vem, bebo quando o problema vai Bebo quando tenho de cem, bebo quando o dim dim não cai Fi, eu num bebo demais (não, não), discordo, meu plano é límpido Só tô repondo já que dizem que o corpo humano é 70% líquido E até o lucro é líquido Lúpulo, malte, uma lupa e a breja é o que deixa meu dia mais vívido Querem que eu mate minha sede com água? Esse negócio insípido Vê se larga a mão de ser ridículo, estúpido E me vê outra dose que o pai ainda tá completamente lúcido (burp!) REFRÃO Bebo sim, mas não é vício, não é bem assim Só uma dose antes de dormir e … uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh Hennessy, tiver goteira então pinga “ni mim” (yeah) Cerveja é fraca, desce aí um gin… (ai ai) uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh RINCON A dose reúne os parça, isso acontece em vários lugares Quebrada tem poucas praças, parques e várias igrejas e bares Aquele barril tem preço baixo mas pode deixar um pouco alto Camisa aberta, peito vermelho, um corpo deitado bem no asfalto É tudo na social mas o efeito pode ser antissocial Pra muitos um copo na mão é crucial pra se sentir mais inserido no espacial Pretos cortando cana, cara pálida faz cifrão E os pretos indo pra cana, bebendo cana, eles chama de abolição O status é muito hype, hype todos querem ter Status: offline, depois de uma noite quando dá “P.T.” Tá na TV, propaganda, garrafas brilham, sai faísca A vida não é mole, tamo dando gole, celebrando mas sem se tornar uma isca (ai aiii) Dando milho na rua, botando na conta do drink é abominável Adolescente, inconsequente, jovem chapado e vulnerável Remédio de uma vida miserável, pra família se torna insuportável Pra muitos o amor é ausente, por isso que o bar é tão amável REFRÃO Bebo sim (yeah), mas não é vício, não é bem assim Só uma dose antes de dormir e … uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh Hennessy, tiver goteira então pinga “ni mim” Cerveja é fraca, desce aí um gin… uh uh uh uhhh, uh uh uh uuuuhhhh ESPECIAL Quando é dia de festa, “fei”, junta os loko e faz o “ratei” Uísque e gelo de coco tem e a mina de ontem quer o replay Hoje é estouro, só tey! tey! tey! Tiramo a roupa e eu me deitei, tava bem loko e capotei Pensando bem eu me sabotei… (2x) Uhm?

Escutar

3. Apavôru03:01

Elenco principal: Rashid Produção: Nave

Letra completa

Nave, olha o que você me faz fazer…. E aí? 1 por amor, 2 por dinheiro Tipo Jason, volto cada vez mais cabreiro (aham) Ninguém aqui tem meu tempero Noiz é tudo BIC, só que eu sou caneta, vocês isqueiro Puf! Apaga quando acaba o gás (ha ha ha) E mesmo que minha tinta acabe minhas palavras não apagam mais (não apagam mais) Piso firme, sagaz Eles têm a pose e eu tenho o peso, é só inverter as vogais É o gueto nas altura Expandindo nosso universo, chame de energia escura Cura, da Vila Penteado a Paris Com as ideia afiada, Machado de Assis (opa) Suando litros, feroz Tipo carro com nitro, pra acelerar liga NÓS Mente longe de Alcatraz, visão de albatroz Juntando vida e moeda que nem Mario Bros PONTE Então aumenta o som (tá ligado?), que a vibe vai esquentar Tirar onda é um dom, deixa eu desenrolar Desce pra pista pra ver… (yeah yeah) Quem não gosta não se envolve, deixa só quem quer viver! REFRÃO Quebrada cantando em coro (apavôru) Pros comédia é livre o choro (apavôru) Noiz num leva desaforo (apavôru) Ritmo é o nosso ouro (apavôru) Tô offline pra você, otário Dizem “seja humilde” mas eles memo agem ao contrário (vai vendo!) Mudei meu itinerário Porque se depender dos outro, meus problema vão fazer aniversário E eu rimo muito, jogo muito Fora da máquina porque pra mim é curto o circuito Jaula não me hospeda Minha tinta faz dinheiro, me sinto a impressora da casa da moeda (Haha) Brabo cara, pai dá trabai Frio tipo Sai, no meu mundo feito Mirai Era ninguém mais, sem mais Quer me achar? Liga o rádio e me procura entre as 100 Mais (aham) Quem mais nesse pique selvagem Trago a quebrada no peito e não é tatuagem, vai! Estiloso, bem GuetoStar Cês perde no áudio e no vídeo, nem adianta usar VAR PONTE Então aumenta o som, que a vibe vai esquentar Tirar onda é um dom, deixa eu desenrolar Desce pra pista pra veeeer… (vem pra ver, vem pra ver) Quem não gosta não se envolve, deixa só quem quer viver! REFRÃO Quebrada cantando em coro (apavôru) Pros comédia é livre o choro (apavôru) Noiz num leva desaforo (apavôru) Ritmo é o nosso ouro (apavôru) Nossa, Rashid…..

Escutar

4. Sobrou Silêncio03:12

Elenco Principal: Rashid, DUDA BEAT Participações: DUDA BEAT Produção: Dogz

Letra completa

REFRÃO - DUDA Sei que tem milhões de anjos pra cuidar Sem querer ser chato e incomodar você Não tenho moral pra vir te pedir nada Só um dia de folga pra gente se ver… É que faltou palavras… E sobrou silêncio Yeah, yeah Nosso lance tem um quê de novela História bela que não teria graça sem batalha A gente é… o casal principal que tem que ficar junto O problema é que todo o resto da trama atrapalha Na minha mente sua imagem Nem vem com tecnologia (não), não se mata saudade por mensagem E a falta um do outro causa estrago Difícil se encontrar, parece aquele filme “A Casa do Lago” Hey! Me diz onde cê tá que eu vou até aí (eu vou) De carro, de metrô, até a pé, aí (pode crê) Fugir dessa neblina, ver o sol sair Só sei que na rotina num pode cair (não) Um espaço na agenda eu consigo e você? O meu compromisso mesmo é contigo Visualizo… Você fica bem de qualquer jeito Mas fica ainda melhor é comigo (digo!) REFRÃO DUDA Sei que tem milhões de anjos pra cuidar (yeah) Sem querer ser chato e incomodar você (pode crê) Não tenho moral pra vir te pedir nada (ahn ahn ahn ahn) Só um dia de folga pra gente se ver… É que faltou palavras… (pode crê, pode crê, pode crê) E sobrou silêncio Me diz, 1, 2, 3, vai Sei que tem milhões de anjos pra cuidar Sem querer ser chato e incomodar você Não tenho moral pra vir te pedir nada (e ae!) Só um dia de folga pra gente se ver… É que faltou palavras… (sem palavras, sem palavras) E sobrou silêncio E ae, mundão, hey, que horas são? (que horas?) Ainda tô na rua pq tenho uma missão (aham) Cansei de ouvir sua voz por Android ou iPhone Nossa ligação sempre foi além do telefone (ahn) Te ouvir chamando baixinho o meu nome Enquanto meu olhar flutua em seu corpo igual drone ...Teu mistério às vezes me consome Chega forte como chuva de verão depois some Clássica menina veneno Te procuro à noite já que dizem que o mundo é pequeno (né não?) E posso te sentir pensando em mim também Isso é química rara, pouca gente tem (hey!) Desculpa pelo sumiço Só não me deixa sem sinal igual celular sem serviço É isso! (é isso) Hora do rush e eu penso se você vem (e aí?) ... Isso não é crush, é um Big Bang REFRÃO - DUDA Sei que tem milhões de anjos pra cuidar Sem querer ser chato e incomodar você Não tenho moral pra vir te pedir nada (aham) Só um dia de folga pra gente se ver… É que faltou palavras… (sempre faltam, pode crê, pode crê) E sobrou silêncio Ahn, e aí, Duda? Diz pra mim Sei que tem milhões de anjos pra cuidar Sem querer ser chato e incomodar você Não tenho moral pra vir te pedir nada (aham) Só um dia de folga pra gente se ver… É que faltou palavras… (sem palavras, e a gente?) E sobrou silêncio

Escutar

5. Carrossel02:39

Elenco principal: Rashid Produção: TALHØ

Letra completa

REFRÃO Garoto, a vida é um carrossel num parque que tá pra fechar (é memo…) Crianças se empurram na fila enquanto os pais 'tão no celular (real) O sol se esconde no céu, as luzes já 'tão pra ligar (mano, e aí?) E a gente observa nossas chances passando como esses cavalinhos, pra lá e pra cá Coisas que eu devia ter feito (ow!) Agora já é tarde, bem feito (ow!) Corre que o tempo é estreito (ow!) E a pressão de escolher direito (ow!) (2x) Yeah, yeah, yeah, yeah Eu vejo os mano na esquina Pergunto se eles sabem que o tempo não rebobina E que os planos de vitória que eles têm, com o fato de passarem o dia ali não combina (não) Eu também já 'tive ali, muito mais preocupado com boot, com mina Mas vi que o futuro é piscina e querem que a gente pule sem saber nadar, por isso ninguém ensina Nosso brilho é o que chama atenção na savana para esses abutres acima Repare, todos eles fingem ser livres mas nunca deixarão de obedecer quem assina Mundo doente, eu trouxe a vacina, em forma de poesia que fascina Tenho matado tantos MCs que eles já não 'tão usando o termo feat pro Rashid, eles chamam de chacina! (cê é loko) REFRÃO Garoto, a vida é um carretel, a gente tem que descarregar E o perigo de ir longe no céu é que alguém sempre pode te cortar (é loko….) Você prefere manter sua linha pra voar onde qualquer um pode voar Ou prefere ir longe, conhecer o mundo e ter muita história quando voltar? Coisas que eu devia ter feito (ow!) Agora já é tarde, bem feito (ow!) Corre que o tempo é estreito (ow!) E a pressão de escolher direito (ow!) (2x)

Escutar

6. Um mundo de cada vez05:31

Elenco principal: Rashid, Drik Barbosa, Wesley Camilo Participações: , Drik Barbosa, Wesley Camilo Produção: Stau, Luiz Café

Letra completa

RENAN Eu pensava que aqui Do alto da cobertura Acima de tudo e de todos Estava coberto, era livre Afinal, dinheiro manda buscar, né? Puro delírio Felicidade não tem um delivery Wall Street ao extremo, pais de uma conta premium Espírito empreendedor, dor, dor, dor, dor, dor Só dor E aí, Drik? E aí, Weslão? (clássico, clássico) Luiz Café Quantos mundos a gente ignora (quantos?) Por olhar só pra dentro ou às vezes por olhar só pra fora A vida exige perfeito balanço, véi Mas equilíbrio nesse nível, nem no Cirque du Soleil (vish…) Várias vez eu ando por aí (é…), vendo alguém em situação de rua, eu penso no conto Por trás dessa vida E quais encontros ou desencontros trouxeram ele a este ponto E no mesmo ponto, no outro canto a madame levanta o vidro porque me viu (ah lá) Talvez não tenha me visto no seu programa favorito cantando um hit que tem sido um dos mais pedidos do Brasil Pra madame no carro, eu e o morador de rua, representamo a mesma coisa: risco E pro morador de rua, talvez eu e a madame estejamos no mesmo universo, misto A sós, nenhum de nós realmente se olha (ahn ahn) E cada um de nós fica em sua bolha Uns por escolha, outros por falta de Todos numa bolha maior, nos falta ver E eu artista, achando que tenho a visão (iiii) Que tô vendo alguma coisa ali que eles não Prepotente... de ser herói tô aquém Só mostra que meu mundo precisa ser salvo também Quase um roteiro de Kubrick (e aí…) Mudar um mundo sem desarrumar o outro, isso é um cubo de Rubik, hein? REFRÃO - WESLEY Nossos caminhos se encontram (é quente), ainda somos semelhantes Mas os problemas que nos cercam ainda são os mesmos de antes (não acredito, hein?!) Quando eu perceber que em cada ser existe um mundo fascinante Já não seremos tão distantes DRIK Tantas vivências e perspectivas, até entender que essa terra não é só feita pra você Uns têm menos, outros mais, isso vale pra caráter, grana ou empatia Uns viciam em substâncias e outros na mentira As fraquezas são múltiplas, a franqueza sumiu de nós, o que é bom tem valia só em última instância Seguem cruzando avenidas, desviam do outro, sem olho no olho, tão perto e há tanta distância É tipo "Show de Truman", real só o que rodeia Como cantou Cazuza: “o tempo não para” Mentes fechadas não enxergam além do horizonte É lei da vida, se quer benção, vai fazer por onde Cada um no seu quadrado O que cê faz impacta quem tá do lado Tipo efeito dominó, desde menor Criei um mundo pra eu viver com a alma intacta Por ter a pele preta me desejam o pior Pra eles “Defeito de Cor”, pra mim, herança viva em mim Pra mim, lutar pra existir é assim desde o início Fácil falar que é mimimi quando nunca foi vítima, sua opressão é bumerangue, volta como míssil São tantos moldes, tantos modos, tantos medos Sempre há mortes, nascimentos pra lidar, tudo é feito de ciclos Uns são grito, outros silêncio, meu barulho te incomoda, minha missão é inspirar nessa era difícil O mundo é meu, o mundo é seu também, Conká cantou vou transformando vida em verso (é seu também) O mundo é meu, o mundo é seu também, Deus tá por noiz, no fim é tudo um universo O mundo é meu, o mundo é seu também, Conká cantou vou transformando vida em verso (e aí, Drik??) O mundo é meu, o mundo é seu também… O mundo é meu, o mundo é seu também… (boto fé) REFRÃO - WESLEY Nossos caminho se encontram, ainda somos semelhantes Mas os problemas que nos cercam ainda são os mesmos de antes Quando eu perceber que em cada ser existe um mundo fascinante Já não seremos tão distantes RENAN Descabelado, mano O dinheiro contado Tanta conta que perdi a conta, ó A esperança entrou na reserva já há uma cara…... Geral no memo busão, no fim, na mesma mão (ae!) Ninguém tá certo onde todo mundo quer ter razão Pelo pão, divisão, esses vão e esses não Buscando adição, e o burro sou eu? Felipão… (eu?) Querendo mesmo a brisa silvestre boa (aham) No meio dum furacão que nos tirou o Mestre Moa Teima, intolerância reina, como se do outro lado da opinião não existisse outra pessoa Mas cada um é um mundo e vejamos Que olhar pro próprio umbigo é o que dá voto pro Thanos Toca o barco e toma o leme Pra fugir dessa “tragicomédia” onde tudo se transforma em meme Que benefício traz (qual?) Lutar contra o direito de alguém que nenhum mal te faz? É a lógica de quem vende o que é seu por um preço baixinho E vai morrer achando que a folha é mais verde na Amazônia do vizinho …Um mundo de cada vez…

Escutar

Temporada comentada

Comentários